O que é o Herpes?

É uma doença infeciosa e contagiosa provocada pelo Herpesvírus humano. Este vírus apresenta vários subtipos que afetam partes diferentes do organismo, causam diversas doenças e provocam sintomatologias diferentes. Algumas doenças manifestadas nos seres humanos por este vírus são: Herpes Simples (genital e labial), Mononucleose Infeciosa, Zona e Catapora (varicela), entre outras.

Vírus Herpes Simples (VHS)

O vírus Herpes simples é uma das espécies do Herpesvírus que afeta, principalmente, áreas mucosas, regiões genitais, pele e boca. Este vírus provoca doenças que, apesar de consideradas benignas, são muito contagiosas e não têm cura, mas podem ser tratadas. Os dois tipos diferentes que mais se manifestam nos seres humanos são: Vírus Herpes Simples 1 (HSV1) e o Vírus Herpes Simples 2 (HSV2). A zona mais afetada pelo tipo 1 é a face, nomeadamente a boca e os olhos, provocando o mais conhecido Herpes Labial; e pelo tipo HSV2 os órgãos infetadas pelo vírus são os genitais e o ânus, e designa-se de Herpes Genital . No entanto podem ocorrer, menos frequentemente, lesões orais por contágio pelo HSV2 assim como ocorrência de sintomas genitais provocados por contaminação pelo HSV1.

Herpes é uma doença benigna, muito contagiosa, que não tem cura mas tem tratamento!

Transmissão

A transmissão/contaminação destes vírus geralmente surge pelo contacto com a área infetada através de um beijo, fluído contaminado, relação sexual ou toque direto na lesão provocada, assim como pela partilha de objetos entre pessoas infetadas e não infetadas. Apesar do período de maior risco de contágio ocorrer quando existem sintomas, esta transmissão também pode ser feita quando não há lesões aparentes, o que torna esta doença altamente contagiosa.
É importante referir também que o herpes genital é considerado uma Doença Sexualmente Transmissível (DST) pois a sua forma de propagação é, maioritariamente, através das relações sexuais.

Sintomas

Os principais sintomas observados são o aparecimento de formigueiro, comichão ou ardor localizados, que antecedem a formação de vesículas (borbulhas com líquido) nessa mesma zona. Esta passagem pode demorar poucas horas apresentando assim uma evolução rápida. As vesículas geralmente são dolorosas, incomodativas e passado uns dias começam a secar e formam umacrosta.
Mesmo que a pessoa infetada não trate as “feridas” provocadas por este vírus, ao fim de normalmente 1 a 2 semanas (para o HSV1) e 4 a 5 semanas (para o HSV2), as lesões visíveis acabam por desaparecer.
Muitas vezes as manifestações só surgem passado muito tempo, porque este vírus pode permanecer inativo (adormecido) dentro das células e não apresentar sintomatologia. Contudo, existem diversos fatores biológicos e ambientais que podem reativar o vírus e provocar várias infeções com manifestações sintomáticas ao longo da vida.
Devido à capacidade que o vírus tem de ficar em estado latente, a pessoa infetada fica com o vírus para sempre no organismo, razão pela qual o Herpes é considerado uma doença que não tem cura.

              

Fatores biológicos e ambientais que reativam o vírus em infetados

• Cansaço
• Estado febril
• Stress físico ou emocional
• Alterações hormonais
• Ingestão de determinados alimentos
• Alimentação não equilibrada
• Sistema imunitário debilitado
• Exposição à luz solar ou raios ultravioletas
• Uso prolongado de determinados medicamentos (por ex. antibióticos)

Prevenção do Herpes Simples

► Utilizar o preservativo durante a relação sexual.
► Não partilhar objetos entre pessoas infetadas e não infetadas na altura em que os sintomas estão presentes.
► Evitar o contacto com lesões provocadas pela infeção.
► Para pessoas já infetadas a melhor maneira de prevenir a ocorrência de uma nova infeção é conseguir identificar e evitar (sempre que possível) os principais fatores que reativam o vírus quando este está adormecido.

É possivel que ambos os tipos HSV1 e HSV2 coexistam na mesma pessoa!